CONTATO    ÁRBITROS    JOGOS DO DIA
Usuário:    |  Senha:  
 
 
  06/05 - FIQUE EM CASA | FIQUE EM CASA | FIQUE EM CASA | FIQUE EM CASA | FIQUE EM CASA | FIQUE EM CASA  
BLOG - NÓS, TÁTICOS!

Data: 05/05/2021

  

POR ONDE COMEÇAR?

Aos amantes do nosso Fut7, sou o treinador Diego Mendes e hoje quero trazer um assunto bacana dentro do cenário do Fut7 e do futebol em si que é o comportamento individual e coletivo de uma equipe para a recuperação da posse de bola.

Tão importante quanto jogar com a bola nos pés, criar jogadas ofensivas e fazer os gols, uma equipe também precisa saber jogar sem a bola, entender os momentos de uma partida e aplicar a melhor estratégia de marcação para recuperar a posse de bola e ter melhores resultados dentro de um jogo.

Pensando nisso, primeiramente vou levantar algumas questões para você pensar um pouco sobre esse assunto.

- De onde parte os primeiros comandos de como seus atletas irão se comportar quando a equipe adversária estiver com a bola?
- Entre os jogadores que estão em campo, quem indica se naquela jogada os atletas irão pressionar o portador da bola, fazer uma marcação alta, recuar ou fazer marcar por zona ou individual quando o zagueiro adversário estiver com a bola?
- O seu atacante ou sua linha ofensiva poderá tomar a atitude de pressionar o adversário a qualquer momento do jogo e sua linha defensiva irá se movimentar conforme o comportamento inicial do ataque?
- Ou, sua linha defensiva (zagueiros ou goleiro) ficam orientando como o seu ataque ou linha ofensiva irá se comportar?

Enfim, de onde começa a marcação?

Comportamento 1 – Comportamento começando pelo ataque

O atleta que está mais adiantado em campo (pivô) ou sua linha ofensiva, poderá por si só tomar atitudes de pressionar o adversário e a sua linha defensiva estará sempre preparada para esse comportamento, seguindo o raciocínio do jogador que está mais a frente e ordenou os primeiros comandos. Assim se cria uma compactação no meio de campo e encurta os espaços, dificultando assim a saída de bola do adversário.

Um dos benefícios desse comportamento é que sempre sua linha ofensiva é quem estará ditando o ritmo de marcação, proporcionando assim um poder de reação mais rápido para saber identificar os momentos exatos de pressionar o portador da bola, cortar linhas de passes, fazer o perde pressiona ou saber o momento de recuar e esperar que o adversário tome a atitude com a bola para intervir da melhor maneira na jogada. Este comportamento trará um beneficio enorme para recuperação de bola mais próxima ao gol adversário.

Porém, um dos contras desse tipo de comportamento é que sua linha ofensiva ficará sem enxergar as movimentações adversárias em suas costas e, se os jogadores de meio de campo e a linha defensiva não estiverem em harmonia com o ataque se compactando e diminuindo os espaços, poderá causar uma saída de bola fácil para a defesa adversária, pois, basta apenas um atleta de sua equipe se movimentar de forma errada, para que toda sua linha ofensiva seja quebrada facilmente e deixando assim a defesa exposta, fazendo que a adversária saia de frente para o seu gol.

Comportamento 2 – Comportamento e orientações começando pela defesa

Agora, as orientações de como se comportar em campo vem de seus defensores ou goleiro. Eles irão orientar e ditar a forma de como o pivô ou a linha ofensiva deverá se comportar a cada jogada do adversário. Muitos treinadores preferem esse tipo de postura em uma equipe por pensar que quem está enxergando o jogo de frente estará visualizando melhor a dinâmica de cada jogada do adversário, orientando assim a sua equipe, fazendo com que a marcação comece pela defesa.

Esse comportamento em uma equipe é benéfico no sentido de que como a equipe estará sempre sendo orientada por quem está tendo a visão do jogo que são os defensores, isso fará com que a linha ofensiva dificilmente cometa o erro de correr ou se movimentar de forma errada na jogada, procurando fechar os espaços de forma mais correta. Pode ser usada em uma tática um pouco mais reativa ou em um balanço defensivo, por exemplo.

O contra desse tipo de comportamento em geral é que o processo será mais lento. Vamos pensar juntos: até que a informação saia do defensor e o atacante a execute em campo, isso levará alguns segundos. Com isso, o tempo de reação de quem estiver na linha ofensiva será diminuído, pois sempre o atacante primeiro terá que escutar as orientações que vem, para assim aplica-las no campo de jogo. Sabemos muito bem que o Fut7 é uma modalidade que o jogo é muito rápido, aonde cada segundo perdido na marcação pode ser suficiente para que o adversário crie uma jogada perigosa ofensiva.

E na sua equipe, por onde que começa a marcação? Da defesa para o ataque ou do ataque para a defesa?

Quis hoje trazer esse questionamento a vocês, pois é uma questão que cabe muita reflexão.


Diego Mendes

Rio de Janeiro - RJ

@diegomendesss

*O blog Nós, Táticos! é escrito por treinadores e apaixonados pelo esporte. Suas opiniões não representam necessariamente o posicionamento da Confederação de Futebol 7 do Brasil.

CF7 Brasil conta com a parceria da Trivella, Gol Linhas AéreasMS Esportes e Brazuca.Bet




LEIA TAMBÉM!

FORMAÇÃO DE DEFESA E ATAQUE
Conheça táticas, jogadas e mais!- Por Jacir Junior
JOGO DE MOBILIDADE OU JOGO POSICIONAL?
Conheça táticas, jogadas e mais!- Por Marcelo Ferreira
A IMPORTÂNCIA DA INTENSIDADE NO FUT7
Conheça táticas, jogadas e mais!- Por Cláudio Borges
JOGADA ENSAIADA OFENSIVA
Conheça táticas, jogadas e mais!- Por Pablo Ricardo
IMPORTÂNCIA DAS CATEGORIAS DE BASE PARA A EVOLUÇÃO DO FUT7
Conheça táticas, jogadas e mais!- Por Mateus Ramires

RANKING

ENQUETE

Você pratica o F7?





PARCEIROS

Copyright© 2021 CONFEDERAÇÃO DE FUTEBOL 7 DO BRASIL.
CNPJ: 41.983.663/0001-50